popular:

Bruxelas pede aos países que promovam o investimento e aumentem os salários

A Comissão Europeia (CE) pediu hoje aos Estados-Membros da União Europeia (UE) que realizem reformas estruturais para impulsionar o investimento e aumentar o crescimento de salários reais para apoiar a demanda doméstica, sem negligenciar as políticas fiscais "responsáveis".

Bruxelas, 22 de novembro (EFE). - A Comissão Européia (CE) pediu hoje aos Estados Membros da União Européia (UE) que realizem reformas estruturais que permitam aumentar o investimento e aumentar o crescimento dos salários reais para apoiar a demanda doméstica, sem negligenciar as políticas fiscais "responsáveis".

Com essas propostas, Bruxelas precisa urgentemente encontrar a equilíbrio entre o apoio à expansão econômica e a sustentabilidade das finanças públicas, em particular reduzindo altos níveis de dívida.

Recomendações fazem parte do chamado "pacote de outono do semestre europeu", que contém as avaliações dos orçamentos dos países da zona do euro para 2018, com exceção da Grécia, e orientações para as políticas econômicas dos países da moeda única e dos vinte e oito.

O executivo da UE destaca o crescimento econômico e a melhoria do mercado mas enfatiza que os salários aumentam "lentamente" e que a prioridade agora é garantir que "o forte impulso do crescimento" seja mantido e "beneficia todos os membros da nossa sociedades. "

Assim, promove o investimento como um meio para apoiar a expansão e para aumentar a produtividade e o crescimento a longo prazo, além de insistir na a necessidade de reformas estruturais para tornar a economia européia "mais estável, inclusiva, produtiva e resiliente".

"As políticas fiscais devem encontrar equilíbrio apropriado entre assegurar a sustentabilidade das finanças públicas e apoiar a expansão econômica. prioridade ", afirmou Bruxelas em comunicado.

Para a zona do euro em particular, a Comissão Européia também solicita reformas destinadas a aumentar a produtividade, melhorando o meio ambiente institucional e empresarial, facilite o investimento, apoie a criação de empregos de qualidade e reduza a desigualdade.

"A economia da zona euro está crescendo no seu ritmo mais rápido em dez anos e o seu défice médio cairá abaixo de 1% do PIB no próximo ano, de 6% em 2010. No entanto, vários Estados-Membros continuam a suportar elevados níveis de dívida pública, que limitam a sua capacidade de investir no futuro ", afirmou o Comissário dos Assuntos Económicos, Pierre Moscovici.

Assim, o Executivo da Comunidade propõe países com déficit ou alto a dívida externa aumenta a produtividade, enquanto as pessoas com excedentes são convidadas a promover o crescimento dos salários e impulsionar o investimento e a demanda interna.

Após a revelação dos "papéis do paraíso", sobre as atividades de figuras públicas em territórios opacos, Bruxelas exorta os países da área do euro, também, a combater a planejamento tributário "agressivo", o que evita o pagamento de impostos.

Além disso, a CE insta os países a reduzir os níveis de créditos improdutivos, bem como a completar o mercado único, o União Económica e Monetária e União Bancária, incluindo o Sistema Europeu de Garantia de Depósitos e a entrada em operação do firewall do Fundo de Resolução Única (FUR).

Depois de propor no ano passado um estímulo fiscal de 50 mil milhões de euros, um primeiro passo para uma política expansionista, em 2017, Bruxelas opta por uma posição orçamentária neutro.

No que diz respeito aos planos orçamentais dos parceiros do euro, a Comissão teme que a Bélgica, Itália, Áustria, Portugal e a Eslovénia não atinjam os objectivos de déficit acordados com Bruxelas para 2018.

Além disso, para a Bélgica e a Itália também prevêem uma violação dos objetivos de redução da dívida.

A alta dívida pública italiana é especialmente preocupante à Comissão, na medida em que o Vice-Presidente do Executivo da Comunidade, Valdis Dombrovskis e o Comissário Moscovici enviaram uma carta às autoridades do país para notificar as suas intenção de rever o cumprimento dos objetivos da dívida na próxima primavera.

Como o Executivo da UE recomendou hoje fechar o procedimento por déficit excessivo ao Reino Unidos, apenas a França e a Espanha estão nesse processo.

Embora se espera que a França reduza seu déficit abaixo de 3% e abandone esse procedimento após 2018, a CE também irá indica que não poderia respeitar os compromissos assumidos no âmbito do Pacto de Estabilidade e Crescimento no próximo ano.

Quanto à Espanha, espera que reduza o seu défice abaixo de 3% em 2018, embora ele avise que não cumprirá o objetivo acordado de levá-lo para 2,2%.

comentários 0

?
Nenhum comentário para este artigo ainda!
EUR/USD

EURUSD=X

1.1747 -0,00 -0,24%
USD/CHF

CHF=X

0.9581 -0,00 -0,09%
GBP/USD

GBPUSD=X

1.3067 -0,02 -1,54%
USD/JPY

JPY=X

112.5670 +0,09 +0,08%
USD/CNH

CNH=X

6.8451 +0,01 +0,15%
USD/CAD

CAD=X

1.2912 +0,00 +0,06%
IBEX 35

^IBEX

9590.40 +6,70 +0,07%
IBEX MEDIUM..

INDC.MC

15377.30 -38,40 -0,25%
IBEX SMALL ..

INDS.MC

7490.80 +5,90 +0,08%
IBEX TOP DI..

INDD.MC

3047.90 +1,80 +0,06%
FTSE LATIBE..

INDB.MC

1249.20 +9,20 +0,74%
FTSE LATIBE..

INDL.MC

8444.10 +226,10 +2,75%
Abertis Inf..

ABE.MC

18.36 +0,00 +0,00%
Actividades..

ACS.MC

37.83 +1,03 +2,80%
Acerinox, S..

ACX.MC

12.24 -0,03 -0,24%
AENA, S.A.

AENA.MC

150.45 +4,75 +3,26%
Amadeus IT ..

AMS.MC

78.26 +0,46 +0,59%
Acciona, S...

ANA.MC

75.86 -0,12 -0,16%
Financial S..

XLF

28.74 -0,11 -0,39%
VanEck Vect..

GDX

18.78 -0,15 -0,79%
SPDR S&P 50..

SPY

291.99 -0,22 -0,07%
Vanguard FT..

VWO

41.80 +0,17 +0,41%
Direxion Da..

TZA

8.24 +0,12 +1,48%
Utilities S..

XLU

53.06 +0,22 +0,43%
Cookies nos ajudam a fornecer os nossos serviços.
Recuperar senha